25.11.09

na algibeira

'Eu mesma não entendo minha enormíssima
paciência de ficar à toa, só pensando,
pensando e sentindo. '
.
[Adélia Prado]
.
Na algibeira da alma, ela carrega um monte de palavras bonitas. Tipo aquelas que ela ouviu da Adélia, um dia: 'Olha o céu, filha, sol, estrela, lua, o que arde e brilha é puro amor.' E decidiu guardar. Gostava daquelas mais limpinhas, que intensificavam o voo. Botava todas elas num potinho de guardar segredos. E só as tirava dali quando era de grande precisão. Porque tinha medo de gastá-las. Dividir só dividia às vezes e, pra quem tinha mais precisão que ela. Hoje, ela decidiu soprar algumas ao vento. Certa de que cheguem ao ouvido daquele que tem fome de olhar. Só pra ver ele sorrindo pra ela. Isso é que é. Depois, se põe a cantar. E até cultivar hortênsias com jeito.
.
[Cris, a que sonha]

9 comentários:

Marta disse...

Que seria da minha vida sem vcs meninas que tanto me confortam e alegram com seus blogs lindos ! obrigada

Bia disse...

As hortências são flores bonitas, certamente combinam com seu blog de emoções. Bonitas palavras.

Beijos.

Pipa. A que sonha. disse...

Eu me ajoelho sete vezes diante de ti, ser iluminado!


Besos ternos serena.

Ricardo Rodrigues disse...

amo linhas de trem... q bom q atrás da minha casa passa uma e eu sempre vou lá quando quero tirar fotos...

renata disse...

se fazer flor, tem que ser todo dia.

beijos!

Júh Albuquerque disse...

E você divide suas palavras bonitas com todos que leem seu blog..

'Planta flor', como vc diz,no coração de todos nós..")

Bjuh!

P.S:Aparece lá no meu blog..faz tempo que não te vejo por lá..=/

Paloma Flores disse...

Também tenho medo de gastar as minhas.
Mas sempre acabo gastando...

Maryama* disse...

Palavras para alegrar o domingo.
Quanta magia, Cris :)

gabiz disse...

então, acho que é uma questão de jeito;